Primeiro livro de Heraldo Palmeira

Criatividade é um instante de lúcida loucura!

Tudo que está aqui, acredite, é resultado do que vi, ouvi, ou inventei. Pode ser isso, o inventar histórias, a tal criatividade?

 

Escrevo porque as palavras correm nas minhas veias. Escrever é ordenar esse fluxo, a teia que vou tecendo para costurar a trama da vida enquanto ela passa.

Oferta Especial

UM SOPRO DE AR PURO

"Este livro de Heraldo Palmeira é um sopro de ar puro

na atmosfera envenenada que respiramos

em nosso país tão dividido."

Ricardo Setti, jornalista

O autor

Heraldo Palmeira, o menino de Acari, interior do Rio Grande do Norte, cresceu e se tornou um cidadão do mundo por força das suas inúmeras qualidades como artista. Compositor, cantor, produtor, cineasta, cronista, roteirista, ele acumulou experiências pelo exercício das suas múltiplas habilidades. E o 30 CONTOS DE RÉIS expressa este caldo de cultura universal, inclusive pela citação de inúmeras obras de diversas artes.

Heraldo se diz eterno aluno do mundo e vive entre São Paulo, Rio de Janeiro, Natal, Acari e qualquer outro lugar que passe pelo seu caminho querendo ficar. Sempre atento à cena, rabiscando, fazendo amigos, aproveitando a vida. E trabalhando muito, para não dar preguiça.

Imagem

Um sopro de ar puro

PREFÁCIO

Este livro de Heraldo Palmeira é um sopro de ar puro na atmosfera envenenada que, neste segundo semestre de 2017, respiramos em nosso país tão dividido.

Pois Heraldo deixa as contendas e ódios de nossos dias, sobretudo nas redes sociais, para fazer de sentimentos humanos sua matéria-prima. Amor e desejo, alegria e tristeza, dor e êxtase, ira e ternura permeiam seus textos – sempre na fronteira tênue entre contos, crônicas e flashes autobiográficos. Mesmo a tragédia ou o lado mau da alma, quando aparecem, são tratados com um olhar de compaixão.

Heraldo, por outro lado, demonstra intimidade e domínio do nosso tão maltratado idioma na riqueza do vocabulário que utiliza, nas metáforas adequadas, na vivacidade dos diálogos. É interessante também observar como seus recursos narrativos são variados – há até um criativo texto escrito em forma de roteiro de documentário.

A música, descoberta tão cedo na vida do autor e sua declarada paixão, está sempre presente, inclusive na forma de trechos de letras que acentuam o sentido de narrativas.

À riqueza dos textos corresponde a variedade dos temas, em que se encontram a nostalgia de uma infância idílica no interior, a descoberta do amor, rupturas e reconciliações, altos e baixos da vida conjugal, violência doméstica, relações pai e filho. São textos pungentes, como o do amor efêmero de um ator de circo mambembe, o do funeral atípico propiciado a um amigo querido, o do modestíssimo personagem que morre sem saber que poderia ter se tornado milionário.

Os textos de fundo autobiográfico são de sensibilidade especial. Falta luz na grande cidade, por exemplo, e o narrador volta a ser o menino do interior, “vasculhando medos e lendas na escuridão das noites do sertão”. A contemporaneidade vem, em outro caso, “pelas rotinas da vida digital”, em que o narrador se diz “vítima da ansiedade de não conseguir deixar o mundo sozinho” sem sua “vigilância”.

É inevitável que o golpe de 1964 e suas consequências apareçam em um livro em que o autor lança mão do passado para transformá-lo em... ficção? O fato é que “Poesia de Rua”, o mais longo texto desta obra, vai calar fundo nas gerações que de alguma forma viveram aqueles anos de chumbo.

Dizem, com razão, que quanto mais longos os prefácios, pior para os leitores. Assim, termino e conclamo: leiam! – e se emocionem.

Ricardo Setti, jornalista

"Sou viajante que não teme as estradas, porque aprendi

a respeitar as curvas incertas e as retas com neblina.

Sou viajante querendo chegar apenas no tempo certo.

Aceito a sina. Ainda é cedo pra ficar tarde demais."

Heraldo Palmeira

O livro

190 PÁGINAS

Formato 15cm x 21cm

Editora ALAMEDA

Informações gráficas

ESTA OBRA FOI COMPOSTA PELA 3RIOS EM GARAMOND E CALIBRI
E IMPRESSA EM PAPEL PÓLEN BOLD 90 G / M² PELA GRÁFICA JB
PARA A ALAMEDA PRODUÇÕES EM OUTUBRO DE 2017
*Papel produzido a partir de fontes responsáveis

Apoio cultural

Apoio cultural

Miami

COMUNICAÇÃO E MARKETING    |   EDUCAÇÃO CORPORATIVA   |   CONGRESSOS E EVENTOS   |   PRODUÇÃO CULTURAL